Beneficios do Whey Protein no Emagrecimento

Beneficios do Whey Protein no Emagrecimento
O mais vendido dentre todos os suplementos, o mais requisitado por atletas profissionais e amadores, o mais indicado por especialistas, o maior investimento das marcas atuais! - O Whey Protein é praticamente uma adesão “obrigatória” para aqueles que desejam ganhar massa magra.

O que muitas pessoas não sabem, porém, é que o produto pode ser utilizado também para quem busca emagrecimento; a suplementação proteica é frequentemente indicada e utilizada na perda de peso!
Isso não significa, no entanto, que basta tomar whey todos os dias para ver o ponteiro da balança baixar. Para quem tem esse objetivo, é preciso saber como tomar whey protein para emagrecer sem correr o risco de obter o efeito contrário, que é ganho de peso – situação aliás nada rara entre praticantes de academia.

O suplemento proteico é composto por macronutrientes que proporcionam saciedade prolongada, isso porque a proteína extraída do soro do leite possui alto valor biológico para quem pratica atividade física, isso significa mais aminoácidos e em menor tempo chegando aos músculos para começar o processo de reconstrução muscular.

A ausência de gorduras garante uma digestão eficiente e sem desconforto gastrointestinal, que pode por exemplo ocorrer com a outra proteína do leite, que é a caseína, ou então com a albumina, proteína encontrada abundantemente na clara do ovo.

Outra vantagem do whey é que ele é rico em BCAA’s, aminoácidos de cadeia ramificada que melhoram o desempenho durante os exercícios de resistência e aceleram a recuperação no pós-treino.

O Whey Protein aumenta também a sensibilidade à insulina, o que é ótimo em um processo de emagrecimento, alguns estudos têm mostrado sua ação análoga a hormônios produzidos no intestino, responsáveis pela saciedade!

Outro fator que a suplementação ajuda na perda de peso é o fato da mesma agir aumentando o ganho de massa magra, atividade que auxilia na queima de gorduras por tempo prolongado, aumentando o metabolismo de repouso.

Estudos indicam que o whey pode ser ainda melhor que as outras fontes proteicas para prolongar a saciedade. As proteínas do leite contêm glicomacropeptídeos, um tipo de peptídeo que estimula a liberação da colecistoquinina, hormônio que é secretado após a refeição e que sinaliza saciedade.
E além disso, é claro, está o fato das proteínas possuírem digestão mais lenta que os carboidratos, o que retarda o esvaziamento gástrico e garante mais saciedade durante um período maior. E como não causa picos de insulina como os carboidratos refinados, o consumo de whey protein garante que você não sinta fome logo após ter acabado de se alimentar.

Ao se exercitar, você causa lesões nas fibras musculares, que precisam ser reparadas e reconstruídas para que você consiga manter ou formar mais massa magra. Esse reparo depende da presença de aminoácidos, que são os pequenos “blocos” formadores das proteínas. O whey protein é fonte de glutamina e BCAAs, que alimentam os músculos durante os exercícios e garantem um meio propício para a síntese proteica que irá proporcionar hipertrofia muscular.

Diversas pesquisas têm demonstrado que o whey protein favorece a diminuição das reservas de gordura corporal através de mecanismos associados ao metabolismo do cálcio, que tem efeito termogênico e acelera a queima de gorduras.
Pesquisadores da Universidade de Adelaide, na Austrália, demostraram que o consumo de uma dieta rica em proteínas pode aumentar a sensibilidade à insulina e reduzir em até 40% a concentração do hormônio na circulação.

A insulina é o hormônio que controla a entrada de glicose nas células, e sua liberação está diretamente associada ao consumo de carboidratos. Quanto maior o índice glicêmico do alimento, mais rápida será sua absorção, e portanto maior será a quantidade de insulina liberada pelo pâncreas. Níveis elevados de insulina podem causar hipoglicemia e levar ao surgimento do diabetes tipo 2.

As proteínas possuem um índice glicêmico muito menor que aquele dos carboidratos refinados, o que na prática se traduz em uma menor variação da glicose após seu consumo. E quanto menor essa variação, mais fácil será o controle do apetite (já que o cérebro envia um sinal de fome quando a glicemia está baixa) e menor será o acúmulo de gordura, outro efeito indesejado que pode ser causado pela ação da insulina.
Consumir whey protein durante a dieta garante que seus músculos recebam os aminoácidos necessários para a síntese de proteínas, evitando assim que o corpo utilize suas próprias reservas como fonte destes nutrientes. Quem faz dieta perde não só gordura e líquidos como também muita massa muscular. E, como acabamos de ver, isso é a última coisa que você quer que aconteça, já que pouca massa magra significa metabolismo mais lento e maior flacidez.

Como o organismo geralmente recorre ao nosso consumo de carboidratos refinados para a obtenção de triptofano, consumir whey durante a dieta pode ajudá-lo a controlar a vontade de comer doces e outros alimentos calóricos e pouco nutritivos. O Whey protein contem triptofano, aminoácido que é precursor do hormônio serotonina. Produzido pelo cérebro, o hormônio serotonina é um neurotransmissor que está associado ao bem estar e que bloqueia parcialmente a ação do cortisol.

Enfim, o uso do Whey protein tem se mostrado eficaz em levar benefícios à pessoas com diferentes biótipos e objetivos, basta ser bem indicado, colocado dentro de um contexto equilibrado, de acordo com suas necessidades proteicas diárias, bem pensado e não consumido de qualquer maneira.


Copyright © 2016 nutriroberta.com.br
Inovando Sìtes Criação e Desenvolvimento de Sites em Porto Alegre RS